As Camélias Do Leblon

Código: K764Z9V3C Marca:
Ops! Esse produto encontra-se indisponível.
Deixe seu e-mail que avisaremos quando chegar.

Os quilombos abolicionistas foram um modelo diferente de resistência à escravidão. Seus integrantes organizavam-se perto dos grandes centros, eram liderados por personalidades públicas com bom trânsito entre fugitivos e sociedade, e ainda interferiam no jogo político.O quilombo do Leblon foi uma comunidade desse tipo. A idéia de escrever o ensaio ocorreu a Eduardo Silva quando o historiador caminhava pelo jardim da Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, e notou a existência de três pés de camélia. O achado trazia novo sentido a um texto do próprio Rui Barbosa, lido pouco antes, em que a flor era apresentada como símbolo da resistência à escravidão. O passo seguinte foi a própria descoberta do quilombo do Leblon. Seu líder, o fabricante de malas José de Seixas Magalhães, era um imigrante português que mantinha boas relações com figuras centrais do movimento abolicionista, entre elas Rui Barbosa, José do Patrocínio, André Rebouças e até a princesa Isabel.Escrito com a agilidade de uma reportagem, esse ensaio de história cultural desvenda os elos desconhecidos entre a campanha política e o movimento social negro. Além disso, revela um modelo diferente de resistência ao sistema escravocrata: o "quilombo abolicionista", um tipo de comunidade que permite uma nova - e mais abrangente - compreensão desse momento - chave da história do Brasil.

Capa comum: 136 páginas

Editora: Companhia das Letras; Edição: 1 (16 de maio de 2003)

Idioma: Português

ISBN-10: 853590364X

ISBN-13: 9788535903645

Dimensões do produto: 14 x 0,8 x 21 cm

Peso de envio: 213 g

Produtos relacionados

Pague com
  • Pagali
  • Pix
  • PagSeguro V2
Selos

MOTTA COMERCIO EDITORA E DISTRIBUIDORA DE LIVROS LTDA - INPI: 920279201/920279031 - CNPJ: 17.977.486/0001-15 © Todos os direitos reservados. 2022